Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

01
No comando: Patrocínio Filho / BOM DIA NAZA

Das 08:00 as 12:00

00
No comando: Pe. Reginaldo Manzotti / PROGRAMA EXPERIÊNCIA DE DEUS

Das 09:00 as 10:00

01
No comando: Patrocínio Filho / NAZA SERTANEJO 1ª AUDIÇÃO

Das 10:01 as 10:30

04
No comando: Flávio Nicetas / ESPAÇO ABERTO

Das 12:00 as 14:00

02
No comando: Pedro Massa / OBA OBA

Das 14:00 as 16:00

02
No comando: Flávio Nicetas / SEXTA DO BREGA

Das 15:20 as 16:00

02
No comando: Pedro Massa / NAZA SERTANEJO 2ª AUDIÇÃO

Das 15:30 as 16:00

06
No comando: Cumpadre Muniz / FORROZÃO DA NAZA

Das 16:00 as 18:00

03
No comando: Josildo Santos / NOTÍCIAS DAS 6

Das 18:00 as 19:00

naza-fm
No comando: A VOZ DO BRASIL

Das 19:00 as 20:00

05
No comando: Adélia Nascimento / NAZA HITS

Das 20:00 as 22:00

05
No comando: Adélia Nascimento / COISAS DO CORAÇÃO

Das 21:00 as 23:59

adelia
No comando: Adélia Nascimento / COISAS DO CORAÇÃO

Das 22:00 as 23:59

04
No comando: Flávio Nicetas / NAZA NOTICIAS

Das 06:00 as 07:45

Deputados mudam na madrugada sistema eleitoral para 2018 e 2020

Compartilhe:
02

A comissão especial da Câmara que analisa a reforma política aprovou na madrugada de desta quinta-feira (10) um destaque que modificou o texto-base aprovado na noite de ontem (9) da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 77/03 e alterou o sistema eleitoral para as eleições de 2018 e 2020, que passará a ser feita pelo chamado ‘distritão’. O relatório prevê, entre outras coisas, a criação do Fundo Especial de Financiamento da Democracia de R$ 3,6 bilhões para financiamento de campanha.

O texto apresentado originalmente pelo deputado Vicente Candido (PT-SP), mantinha o sistema eleitoral atual para 2018 e 2020 e estabelecia que o sistema de voto distrital misto, que combina voto majoritário e em lista preordenada, deve ser regulamentado pelo Congresso em 2019 e, se regulamentado, passa a valer para as eleições de 2022.

A mudança foi aprovada por 17 votos a 15, em destaque do PMDB, com apoio das bancadas do DEM, do PSDB, do PSD e do PP e o distritão seria um modelo de transição ao distrital misto, que valeria a partir de 2022, mantendo a necessidade de regulamentação pelo Congresso.

“Nós precisamos de um tempo para montar a distribuição dos distritos no Brasil. E o ‘distritão’ caminha para esse novo sistema, quebrando com o sistema proporcional que gerou um desgaste enorme até hoje”, disse o deputado Celso Pansera (PMDB-RJ).

Apesar de o PSDB ter decidido aprovar o distritão, apenas Marcus Pestana (MG) votou a favor da medida. O tucano mineiro considera a mudança de modelo na votação para o Legislativo essencial. “O modelo atual está esgotado. Não dá para fingir que está tudo bem e continuar com o sistema atual, vamos de ‘distritão’ na transição para um sistema misto mais elaborado e transparente a partir de 2022”, disse.

 

Fonte: Blog do Diario. 

Deixe seu comentário: