Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

05-2-640x640-300x300-1
No comando: Adélia Nascimento / BOM DIA NAZA

Das 08:00 às 12:00

naza-fm-logo
No comando: Pe. Pedro / PROGRAMA TESTEMUNHO DE FÉ

Das 09:00 às 10:00

img-20190325-wa0041
No comando: Flávio Nicetas / ESPAÇO ABERTO

Das 12:00 às 14:00

img-20190207-wa0160-300x200
No comando: Pedro Massa / OBA OBA

Das 14:00 às 16:25

img-20190325-wa0041
No comando: Flávio Nicetas / SEXTA DO BREGA

Das 15:20 às 17:00

img-20190207-wa0160-300x200
No comando: Pedro Massa / NAZA SERTANEJO 2ª AUDIÇÃO

Das 16:25 às 17:00

04
No comando: Cumpadre Muniz / FORROZÃO DA NAZA

Das 17:00 às 19:00

naza-fm-logo
No comando: A VOZ DO BRASIL

Das 19:00 às 20:00

naza-fm-logo
No comando: NAZA HITS

Das 20:00 às 22:00

naza-fm-logo
No comando: COISAS DO CORAÇÃO

Das 21:00 às 23:59

naza-fm-logo
No comando: COISAS DO CORAÇÃO

Das 22:00 às 23:59

img-20190325-wa0041
No comando: Flávio Nicetas / SÓ NOTÍCIAS

Das 06:00 às 07:40

Petrobras reduz preço da gasolina em 3%

Compartilhe:
Postos do DF começam a ajustar os preços do diesel com a redução de R$ 0,46
A Petrobras anunciou nesta segunda (10) redução de 3% no preço da gasolina em suas refinarias. É o terceiro corte desde o dia 24 de maio, acompanhando a redução das cotações internacionais do combustível.
De acordo com a estatal, o litro da gasolina será reduzido em R$ 0,0549 a partir desta terça (11). Assim, o preço médio praticado pelas refinarias da empresa cairá de R$ 1,8144 para R$ 1,7595 por litro.
É o menor valor desde o dia 12 de março. Após três cortes consecutivos, o preço da gasolina vendida pela Petrobras acumula queda de 14%.
No dia 31 de maio, a estatal reduziu o preço da gasolina em 7,1%, fato que gerou comemoração do presidente Jair Bolsonaro no Twitter. Antes, no dia 24, a queda havia sido de 4,4%.
O repasse às bombas depende de políticas comerciais de distribuidoras e postos de combustíveis. A gasolina vendida pela Petrobras corresponde a 31% do preço final do produto.
O ciclo de queda acompanha as variações do mercado internacional de petróleo. Desde a o fim de maio, quando o último corte foi anunciado, o preço da gasolina no Golfo do México caiu 4,5%, de acordo com a agência americana de informações em energia.
A política de preços dos combustíveis da Petrobras considera as variações das cotações internacionais e da taxa de câmbio. Acrescenta ainda os custos para trazer os produtos ao mercado brasileiro.
Para a gasolina, a política estabelece prazos máximos de 15 dias para reajustes. No caso do diesel, os reajustes não podem ocorrer em prazos inferiores a 15 dias, medida adotada em meio a crescentes insatisfações dos caminhoneiros.
O último ajuste no preço do diesel foi anunciado também no dia 31 de maio, quando o valor praticado pelas refinarias da Petrobras foi reduzido em 6%.
Desde março, a Petrobras pratica prazos mínimos de 15 dias para reajustes no preço do diesel. Já a política de preços da gasolina prevê prazos máximos de 15 dias para alterações.
Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário: