Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

05-2-640x640-300x300-1
No comando: Adélia Nascimento / BOM DIA NAZA

Das 08:00 às 12:00

naza-fm-logo
No comando: Pe. Pedro / PROGRAMA TESTEMUNHO DE FÉ

Das 09:00 às 10:00

jojo
No comando: Josildo Santos / ESPAÇO ABERTO

Das 12:00 às 14:00

img-20190207-wa0160-300x200
No comando: Pedro Massa / OBA OBA

Das 14:00 às 16:25

img-20190207-wa0160
No comando: Pedro Massa / SEXTA DO BREGA

Das 15:20 às 17:00

img-20190207-wa0160-300x200
No comando: Pedro Massa / NAZA SERTANEJO 2ª AUDIÇÃO

Das 16:25 às 17:00

04
No comando: Cumpadre Muniz / FORROZÃO DA NAZA

Das 17:00 às 19:00

naza-fm-logo
No comando: A VOZ DO BRASIL

Das 19:00 às 20:00

naza-fm-logo
No comando: NAZA HITS

Das 20:00 às 22:00

naza-fm-logo
No comando: COISAS DO CORAÇÃO

Das 21:00 às 23:59

naza-fm-logo
No comando: COISAS DO CORAÇÃO

Das 22:00 às 23:59

jojo
No comando: Josildo Santos / SÓ NOTÍCIAS

Das 06:00 às 07:40

Saúde: Nazaré da Mata e Carpina são as cidades que menos gastam na saúde de cada habitante, na Mata Norte

Compartilhe:
05

Na Mata Norte, as cidades de Nazaré da Mata e Carpina, são as cidades que menos gastaram na saúde de cada habitante no ano de 2017. Os dados foram divulgados pelo Conselho Federal de Medicina. As cidades ficaram atrás de municípios menores como Ferreiros e Camutanga, que são as cidades que mais gastam nesse tipo de serviço da região.

A cidade de Ferreiros, é a cidade que está mais próxima de média nacional, que prevê gastos mínimos de R$ 403,37 por habitante.

Já em Nazaré da Mata, a cidade com 32.280 habitantes, a Secretaria municipal investiu R$ 167,15 por habitante.

Já a maior cidade da Mata Norte, em termo habitacional, Carpina, destinou R$ 169,03 para cada habitante, nos gastos em relação a saúde. A cidade possui 82.685 moradores. O levantamento, mostra que o valor médio aplicado pelos gestores municipais com recursos próprios em Ações e Serviços Públicos de Saúde (ASPS), declaradas no Sistema de informações sobre os Orçamentos Públicos em Saúde (Siops), do Ministério da Saúde.

Deixe seu comentário: